Dúvidas frequentes sobre disfunção erétil

A disfunção erétil é tratada como a incapacidade de o homem ter uma ereção que seja suficiente para manter a relação sexual, trazendo transtornos para a vida conjugal.

Episódios únicos não podem caracterizar a condição, ou seja, é preciso ser algo frequente e trazer problemas nas relações para ser considerado disfunção erétil.

Principais dúvidas sobre disfunção erétil:


O problema está ligado a causas naturais?

Sim, após os 40 anos de idade, praticamente metade dos homens sofrerão com algum grau de disfunção erétil, que pode ser algo mais leve ou até mesmo um quadro complicado.

Além da idade, existem outros fatores de risco, tais como tabagismo e consumo exagerado de álcool, já que as substâncias tóxicas presentes nesses produtos já se mostraram ser extremamente prejudiciais para todo o organismo.

O uso de alguns medicamentos também pode ocasionar disfunção. Por isso, é importante conversar com o médico após observar que os sintomas estão presentes há algum tempo.

Como saber se o que tenho é disfunção erétil?

O diagnóstico da disfunção erétil só pode ser feito por meio de exames clínicos ou laboratoriais, já que, muitas vezes, a condição pode ser um efeito colateral de outras disfunções presentes no organismo.

Importante salientar que, para ser considerado disfunção erétil, o problema deve permanecer por tempo prolongado, e causar incômodos para a vida do homem.

Existe alguma forma de prevenir?

A condição pode estar associada a diversos fatores de risco, alguns naturais e outros advindos de hábitos.

No caso, o melhor a se fazer é investir em hábitos mais saudáveis, como parar de fumar e diminuir o consumo de álcool, além de se tornar uma pessoa mais fisicamente ativa, e evitar o consumo grande de alimentos industrializados e ultraprocessados.

Como é feito o tratamento?

O primeiro passo é conversar com o médico para conhecer todas as opções de tratamentos disponíveis no setor atualmente. É preciso estudo, conversas e paciência até encontrar aquilo que melhor vai se adequar a cada situação.

De toda forma, o tratamento pode ser um pouco demorado, por isso, é importante que o homem tenha calma e não seja imediatista. Se um medicamento não surtir o efeito esperado, existem diversas outras opções, de forma que não é preciso desistir.

Normalmente, o médico segue o protocolo, por ordem crescente:

  1. Análise psicosexual, com indicação ou não de terapia
  2. Análise das taxas hormonais, com indicação ou não de reposição hormonal;
  3. Verificação e tratamento de fatores de risco associados à Disfunção Erétil como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e doenças neurológicas;
  4. Utilização de inibidores da fosfodiesterase  tipo 5: sildenafil, vardenafil, tadafil;
  5. Utilização de dispositivos para promoção e manutenção da ereção,  como as bombas à vácuo e anéis penianos;
  6. Cremes transdérmicos com Alprostadil e Fentolamina, tipos de prostaglandinas que agem diretamente no pênis;
  7. Injeções intracavernosas com papaverina e prostaglandinas, como por exemplo o Caverject®;
  8. Supositórios intraureutais  com prostaglandinas;
  9. Implantes e cirurgias vasculares que envolvem opções invasivas, através de cirurgias.

Observe que há uma gama de opções de tratamento. Mantenha a calma e busco orientação profissional.

Alprostadil como tratamento para disfunção erétil

O Alprostadil em creme, também conhecido como Alprostadil em pomada ou Alprostadil em Pentravan® é aplicado no canal da uretra, agindo diretamente no pênis.

Ao contrário de medicamentos orais como o  Viagra® (sildenafila) ou Ciallis® (tadalafila) não tem efeitos colaterais e seu uso é seguro em pacientes cardiopatas.

O Alprostadil há muito tempo é utilizado no tratamento da disfunção erétil. O medicamento mais conhecido que utiliza o Alprostadil é o Caverject®, porém o método de aplicação do mesmo é através de aplicações com dolorosas agulhas usadas no pênis.

Já o Alprostadil em base creme é colocado em um aplicador parecido com uma caneta. Este aplicador contém uma de ponta de silicone (flexível), de forma a não causar dor ou qualquer efeito adverso ao pênis. Na extremidade superior da caneta existe um botão – cada apertada neste botão uma dose do produto é sai através da ponta de silicone.

Dessa forma, o Alprostadil pomada respeita a individualidade de cada homem, já que é possível dosificar e encontrar a dose ideal que funciona para você. Com isso temos algo incrível que é conseguir promover a reabilitação peniana e melhorar a ereção conforme a utilização do produto.

Alprostadil pode ser encontrado na Farmácia Sempre Viva

O Alprostadil em creme para disfunção erétil é distribuído com exclusividade em farmácias magistrais, como a Farmácia Sempre Viva. O Alprostadil em creme foi desenvolvido para homens que buscam formas indolores e sem efeitos adversos para tratar a disfunção erétil.

Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza, saúde e atividade física foco da minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês.

Vivian Costa
Vivian Costa
Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por cosméticos e tudo relacionado à beleza, saúde e atividade física foco da minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês.