Enzimas Digestivas – Funcionamento e Benefícios

Estudos afirmam que a má alimentação mata mais que cigarro! Cerca de 11 milhões de pessoas morrem todos os anos devido à má alimentação.

No Brasil, detectou-se, através de estudos e pesquisas uma deficiência de consumo de grãos e cereais integrais, assim como nos Estados Unidos, na Alemanha, na Nigéria, na Rússia e no Irã.

Para os pesquisadores, portanto, “as mortes se associam mais com não comer suficientemente alimentos saudáveis do que com comer demais dos que são ruins para a saúde”.

Como o seu organismo faz a digestão?

Você já pensou que com o avanço da idade e com a má alimentação a nossa digestão pode ficar prejudicada?

Já ouviu falar das enzimas digestivas e a ação delas em nosso organismo?

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde): Uma dieta saudável ajuda a proteger contra a má nutrição em todas as suas formas, assim como contra doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT) – entre elas diabetes, doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais e câncer.

Não perca tempo, alimente-se bem e faça suplementação adequada.

Hoje vamos falar sobre as ENZIMAS DIGESTIVAS e a importância delas, confira!

O que são enzimas digestivas?

Enzimas são moléculas naturais do organismo que atuam catalisando, ou seja, acelerando as inúmeras reações bioquímicas. Elas permitem que todos os processos metabólicos se desenvolvam em velocidade adequada em condições fisiológicas.

Em termos de categorias as enzimas podem ser: digestivas ou metabólicas.

Sendo as digestivas, presentes no trato gastrointestinal (TGI), envolvidas com a degradação de macro nutrientes obtidos através da alimentação – como proteínas, carboidratos e lipídios – em aminoácidos, monossacarídeos e ácidos graxos, para que sejam então absorvidos.

Já as metabólicas agem catalisando diferentes reações bioquímicas que ocorrem nas células e tecidos do organismo.

Como funcionam?

Cada enzima é específica para um tipo de reação. Ou seja, elas atuam somente em um composto único e sempre geram a mesma reação.

A atividade das enzimas digestivas pode ser influenciada por condições como temperatura, pH, tempo e concentração.

O corpo humano produz cerca de 22 enzimas digestivas diferentes, sendo que a produção vai reduzindo ao longo dos anos, sendo necessária a suplementação para equilibrar o organismo.

Principais benefícios e a importância

– Melhora a digestão, a biodisponibilidade e absorção dos nutrientes;

– Restaura a atividade enzimática endógena ausente ou insuficiente;

– Reduz possíveis desconfortos gastrointestinais associados ao consumo de alguns alimentos específicos;

– Fortalece o sistema imune, reduzindo a severidade de intolerâncias e alergias alimentares;

Sendo essenciais na distribuição de nutrientes para a formação estrutural, crescimento e desintoxicação do nosso organismo, as enzimas se ajustam para cada necessidade do corpo, seja no equilíbrio hormonal, humor, circulação sanguínea, respiração e mecanismos dos sentidos (paladar, olfato, tato, visão e audição).

Vale reforçar que de forma prática: a enzima está para o organismo como a chave está para a porta, a combinação e a finalidade é única. Para diferentes portas, diferentes enzimas para o perfeito funcionamento do nosso corpo.

Classificação das enzimas digestivas

Vale destacar as principais com uma breve descrição:

  • Amilase e amilase bacteriana: enzimas que auxiliam na quebra do amido, transformando-o em maltose e glicose;
  • Lactase: enzima que auxilia na quebra da lactose (açúcar do leite), transformando-a em glicose e galactose;
  • Pectinase: enzima que auxilia na quebra da pectina, um dos principais componentes da parede celular dos vegetais;
  • Maltase: enzima que auxilia na quebra da maltose (açúcar dos cereais), transformando-a em glicose;
  • Lipase: enzima que atua sobre os lipídeos, transformando-os em ácidos graxos e glicerol;
  • Invertase: enzima que auxilia na quebra da sacarose (açúcar refinado), transformando-a em frutose e glicose;
  • Protease: enzima que auxilia na quebra das proteínas;
  • Protease ácida estável: enzima resistente ao pH ácido que auxilia na quebra das proteínas;
  • Bromelina: enzima que auxilia na quebra das proteínas.
  • Carboidrases: enzimas que catalisam a hidrólise de ligações em carboidratos, levando à formação de monossacarídeos.

Sugestões de fórmulas

ASPECTOS GLOBAIS DA FUNÇÃO DIGESTIVA

  • Tomar 1 dose antes das principais refeições.

ASPECTOS GLOBAIS DA FUNÇÃO DIGESTIVA

  • Tomar 1 dose antes das principais refeições.

ADJUVANTE NA DIGESTÃO DE PROTEÍNAS

  • Tomar 1 dose antes das principais refeições.

REDUÇÃO DOS SINTOMAS ASSOCIADOS À INTOLERÂNCIA A LACTOSE

  • Tomar 1 dose antes das principais refeições.

Para concluirmos esse assunto, segue algumas dicas importantes, sobre comer bem, confira:

  • Mudar hábitos na alimentação é algo desafiador, mas a dica é: FOQUE em apenas um alimento, corte aquele açúcar exagerado, por exemplo, que você sente que é prejudicial, ou aquele pão diário que te deixa estufado demais;
  • Se a dica é cortar apenas uma coisa, seguimos recomendando uma fruta ao invés de uma barra de chocolate, por exemplo, substitua algo “ruim” por algo “bom”;
  • Coma mais vezes, mas em porções menores! Ninguém gosta de passar fome, então mantenha-se saciado e bem nutrido, coma com mais frequência durante o dia;
  • Mastigue, mastigue e mastigue, não coma rápido demais ao ponto de ignorar que o processo todo digestivo começa na boca!
  • Tenha paciência com o seu corpo, ninguém é igual ninguém! Não queira fazer dietas mirabolantes, simplesmente porque essa ou aquela pessoa falou que é a “melhor”, estabeleça à sua rotina, planeje sua alimentação e sinta o seu corpo e os seus gostos.
  • E por fim, conte com profissionais que possam lhe orientar, faça uma suplementação adequada para o seu organismo, as enzimas digestivas são ótimas aliadas para um bom funcionamento digestivo.

Espero que vocês tenham gostado. Até a próxima!

Referências

  1. Silverthorn DU. Fisiologia Humana: Uma abordagem Integrada. 7 ed. Porto Alegre:Artmed;2017;
  2. Meisenberg G, Simmons WH. Digestive Enzymes. In: Principles of Medical Biochemistry. Vol 85. Elsevier; 2012:334-341. Doi:10.1016/B978-0-323-07155-0.00019-8.
  3. Bhatia S. Introduction to Enzymes and Their Applications.;2018.doi:10.1088/978-0-7503-1302-5ch1.
  4. Sanioto SML. Digestão e Absorção de Nutrientes Orgânicos. In: Sistema Digestório: Integração Básico- Clínica. Editora Edgard BIucher; 2016:603-644. Doi:10.5151/9788580391893-22.
  5. Silva GE, Teixeira I da G. Enzimas digestivas: uso terapêutico. J Biomolec Med Free Radic. 1997;3(2).
  6. Active Pharmaceutica – www.activepharmaceutica.com.br

Graduando em administração, libriano e proseador. Sou mineiro de sangue, gosto muito de desafios novos seja no campo social, político, saúde e dia-a-dia (a boa conversa cotidiana, refletindo sobre tudo um pouco).

Lucas Bueno
Lucas Bueno
Graduando em administração, libriano e proseador. Sou mineiro de sangue, gosto muito de desafios novos seja no campo social, político, saúde e dia-a-dia (a boa conversa cotidiana, refletindo sobre tudo um pouco).