Estudo revela que acordar uma hora mais cedo pode reduzir o risco de depressão em até 23%

Caso o indivíduo vá dormir duas horas mais cedo que o habitual, essa redução aumenta para até 40%

Segundo estudo feito por pesquisadores da Universidade do Colorado, em Boulder, em parceria com o Instituto Broad do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets) e Harvard, localizados nos Estados Unidos, acordar uma hora mais cedo pode reduzir o risco de depressão em até 23% em indivíduos que possuem hábitos noturnos. 

Os resultados do estudo genético, realizado com mais de 840 mil pessoas, foram publicados na revista científica JAMA Psychiatry. Pesquisas anteriores também mostraram os efeitos do sono no humor e na saúde mental e física das pessoas, porém, uma pequena parcela desses estudos conseguiu relacionar o cronotipo (relógio biológico) ao risco de desenvolver um quadro depressivo. 

“Também há evidências da associação de síndrome do sono retardado – o que pode ser considerado uma preferência noturna extrema – com risco de desenvolver transtorno de depressão grave e sintomas depressivos”, informam os pesquisadores.

Hábitos do sono

De acordo com os pesquisadores, os genes de uma pessoa, que são definidos no momento do nascimento, podem explicar de 12% a 42% dos hábitos do sono. A fim de analisar os reflexos dos hábitos de sono com o risco de depressão, eles observaram a variação genética das pessoas que participaram voluntariamente do estudo quando eram expostas a um fator em específico: a preferência por acordar mais cedo. 

Como as pessoas foram avaliadas

Ao todo, mais de 840 mil indivíduos tiveram seus dados genéticos avaliados. Esses dados estavam disponíveis nos bancos de dados de projetos que realizam análise de DNA (o UK Biobank, no Reino Unido, e o 23andMe, nos Estados Unidos). 

Do total de voluntários, 85.502 usaram rastreadores de sono durante sete dias. Além disso, 250 mil responderam questionários sobre os seus hábitos de sono. As pessoas que dormiam mais de doze horas ou menos de três horas por dia não participaram do estudo. 

Os resultados encontrados mostram que aproximadamente um terço dos indivíduos que participaram (280 mil) possuía hábitos matinais e 9% (75,6 mil), hábitos noturnos. A parcela restante tinha hábitos intermediários. 

O estudo mostrou, portanto, que indivíduos com predisposição genética a acordar mais cedo apresentam risco menor de ter depressão. Ainda foi apresentado que, quanto mais cedo o indivíduo se deita para dormir, maior é a sua possibilidade de reduzir o risco de depressão. 

Assim, foi estimado que, se uma pessoa dorme uma hora mais cedo do que o habitual, ela pode reduzir o risco de depressão em 23%. Se a mesma pessoa for dormir duas horas mais cedo, tal risco pode ser reduzido em até 40%. É importante ressaltar que os hábitos do sono também estão ligados ao fato de dormir melhor.

Imagem padrão
Vivian Costa
Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: https://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/
Artigos: 254

Deixe uma resposta