Melatonina: para que serve, quais benefícios, indicações e onde encontrar

Além de auxiliar na qualidade do sono, a melatonina tem outros benefícios para seu organismo, melhorando a qualidade de vida.

De acordo com uma pesquisa encomendada pela biofarmacêutica Takeda para o IBOPE, realizada em março de 2020, no início da pandemia de Covid-19, encontrou um dado alarmante – 65% dos brasileiros afirmam ter problemas com a qualidade de sono.

Dessa porcentagem, 34% dos entrevistados afirmaram sofrer com insônia. Apesar da quantidade, somente 21% dos que sofrem com insônia possuem diagnóstico médico da doença, ou seja, poucos procuram ajuda profissional de saúde.

A alteração no sono pode decorrer de certos fatores, como ansiedade, estresse, má alimentação e outros. Para reduzir a probabilidade de ocorrer distúrbios psicológicos, acidentes, déficits cognitivos e afins, o ideal é procurar um especialista que, dependendo da situação, irá recomendar mudanças no seu estilo de vida, uso de suplementos e em alguns casos adoção de medicamentos.

Um dos suplementos mais utilizados para o tratamento é a melatonina. Veja, neste post, o que é melatonina, para que serve, seus benefícios e outras informações sobre a substância.

O que é melatonina e para que serve?

A melatonina é um tipo de hormônio antioxidante produzido pela glândula pineal.

Por ser um agente cronobiótico, a glândula que está no meio do nosso cérebro é capaz de identificar a ausência ou presença de luminosidade e sincronizar nosso relógio biológico. No momento em que é verificada a ausência de luz, a glândula pineal dá início a produção de melatonina.

O trabalho da melatonina é regular o ciclo circadiano, que é um mecanismo que ritmiza o seu dia a dia, como acordar na hora certa, sentir fome e se manter ativo. Tem a duração de 24 horas e sincroniza com os fatores biológicos, portanto varia de acordo com cada organismo.

Esse é um processo natural do nosso organismo, mas também pode ser encontrado em suplementos. São três tipos que estão no mercado: melatonina sintética, melatonina natural de origem animal e melatonina natural de origem vegetal.

Esse hormônio tem como objetivo induzir o sono, controlar as etapas do nosso desenvolvimento durante o dia e garantir um equilíbrio na hora de dormir, para que não haja uma quebra na rotina que acarrete problemas de saúde.

Como a melatonina age no nosso organismo

O hormônio, quando produzido, fornece o cansaço natural para que o ciclo não se quebre e  mantenha uma rotina saudável, trazendo boa disposição pela manhã.

Você deve perceber que, durante toda a sua vida, a quantidade de sono que sente reduziu, não é!? Isto acontece porque a melatonina, conforme o envelhecimento, é produzida cada vez menos, por essa questão, a probabilidade do sono ser mais instável na vida adulta aumenta.

Quando, durante a noite, mantemos estímulos que afetam os nossos cinco sentidos, a melatonina diminui, e o metabolismo é acelerado, fazendo com que você volte a ativa e perca o sono.
Portanto, devido ao fato dela ser gerada a partir da ausência de luz, é necessário, antes de você dormir, desligar as luzes, evitar mexer no celular e a ter estímulos sonoros e aromáticos que causam o oposto da proposta que a melatonina cria para ter uma noite de sono tranquila e eficaz.

Benefícios da melatonina: quais são?

Você sabe em que a melatonina pode te beneficiar? Esse hormônio supre aspectos importantes do seu corpo que serão apresentados a seguir:

Traz melhoria para a qualidade do sono

Esse hormônio auxilia a regular o cansaço no organismo, alterando o relógio biológico de forma mais saudável.

Várias pesquisas indicam que fazer uso da melatonina algumas horas antes de dormir ajuda as pessoas a ter um sono verdadeiramente reparador, com melhoria significativa do sono.

A melatonina pode, inclusive, melhorar o chamado efeito jet lag, em que há uma alteração no ciclo circadiano devido à alteração no fuso horário, como viagens internacionais. Nesse caso, a suplementação com melatonina funciona como uma regulação do ciclo circadiano.

Outras pessoas que podem se beneficiar com a suplementação de melatonina são os trabalhadores noturnos (de turnos, que trabalham durante a madrugada). Nesses casos, há uma alteração significativa no padrão do sistema sono vigília, e a melatonina poderia ajudar essas pessoas a regularizar novamente seu padrão de sono.

Apresenta efeito antioxidante, fortalece e modula o sistema imunológico

Uma pesquisa conduzida pelo Instituto de Biomedicina de Sevilla (IBiS) sugere que a melatonina, além de conter propriedades anti-inflamatórias, age também como estimulante em condições que o sistema imune está suprido. Da mesma forma, a melatonina modula o sistema imune quando ele apresenta resposta imunológica exacerbada, como em casos de doenças autoimunes ou inflamações agudas.

Dessa maneira, a melatonina assume dois papéis importantíssimos para o sistema imunológico: em algumas situações, ela pode estimular o sistema imune, e outras situações, ela pode modulá-lo, diminuindo o grau exacerbado de sua resposta.

Oferece alívio para o estresse

Dormir bem te deixa zen! Pergunte aos pais de um recém-nascido se dormir mal os deixa estressados. É um tanto óbvio, mas ter um sono reparador ajuda, sim, no alívio do stress.

Sintomas como ansiedade demasiada, fadiga diurna, baixo rendimento no trabalho e na prática de exercícios físicos, insônia e inquietação podem ser resolvidos com suplementação de melatonina.

Atua sobre o metabolismo

Pesquisas mostram que a melatonina é necessária para a correta produção, secreção e ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas e responsável por lidar com a glicose no organismo.

Como a melatonina regula o ciclo circadiano, ela funciona como uma espécie de marcador para o corpo, determinando os horários corretos não somente para dormir, mas também para se alimentar. Dessa maneira, quando esse sistema está alterado, a pessoa pode desenvolver distúrbios metabólicos como a obesidade.

Pesquisas sugerem que a redução da produção da melatonina, que tem como as principais causas o envelhecimento, trabalho noturno (em turnos) ou ambientes extremamente iluminados, pode desencadear alterações prejudiciais no metabolismo da pessoa, inclusive induzindo resistência insulínica e o diabetes, isso acompanhado de distúrbios de sono e desorganização circadiana.

O entendimento de algumas pesquisas é que a suplementação de melatonina também pode ajudar na regulação do metabolismo ao reconduzir a pessoa ao ritmo circadiano mais saudável para ela.

Pode ser o alívio para o zumbido no ouvido

Muitas pessoas reclamam de zumbido no ouvido, e um estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Olhos e Ouvidos da Universidade do estado de Ohio sugere que a suplementação de melatonina pode ser uma opção de tratamento natural para o zumbido.

Nessa pesquisa, foram recrutadas 61 pessoas. Elas tomaram três miligramas de melatonina todas as noites durante 30 dias, e o resultado obtido foi uma melhora significativa na sensação do zumbido no ouvido. Além da melhora na sensação de zumbido, houve melhora também na qualidade do sono.

É um alívio também para os sintomas da menopausa

A menopausa pode trazer alterações não só no corpo das mulheres, mas também distúrbios no padrão de sono e, consequentemente, no humor. Um estudo indicou que mulheres na menopausa e na perimenopausa (período anterior à menopausa definitiva) melhoraram o humor e diminuíram significativamente a depressão com a suplementação de melatonina durante 6 meses.

Portanto, a suplementação de melatonina pode ser a chave para a mulher entrar nessa nova fase sem grandes alterações em seu humor.

Pode ajudar no aumento do hormônio do crescimento em homens

O hormônio do crescimento (GH) é liberado quando dormimos. Esse hormônio é um dos mais apreciados por praticantes de atividades físicas por ser um dos participantes da síntese proteica. Pesquisadores italianos demonstraram que a melatonina torna a glândula pituitária mais sensível para liberação do GH.

O melhor caminho para estimular a liberação do hormônio de crescimento é combinar a suplementação de melatonina (se necessária) com uma rotina de treinos de força e resistência. Essa rotina ajuda a diminuir os níveis de somatostatina, que é o hormônio que inibe o GH.

O suplemento de melatonina é indicado para quem?

Antes de você procurar a suplementação, precisa, primeiro, procurar um profissional da área da saúde para saber se é necessário tomar esse tipo de medicamento e se há contraindicações.

Alguns grupos são mais indicados para ingerir a melatonina:

  • Idosos que têm uma redução natural de produção da melatonina;
  • Pessoas que atuam em trabalhos noturnos e que precisam dormir no período matutino;
  • Os vespertinos, já que o relógio biológico está programado para dormir e acordar mais tarde;
  • Para a recuperação ou prevenção de dissincronose (jet lag), quando alguém viaja, por exemplo, e tem mudança drástica de horário;
  • Em caso de pessoas que têm algum grau de cegueira, devido à baixa percepção de luminosidade.

Há contraindicações do suplemento?

Esse suplemento não é indicado para pessoas que estão amamentando ou grávidas, menores de 18 anos, que têm doenças autoimunes, hipersensibilidade ao fármaco, insuficiência renal ou hepática, indivíduos que utilizam medicações para prevenção contra rejeição de órgãos transplantados e profissionais que operam máquinas pesadas e que precisam dirigir veículos. Nestes casos consulte seu médico.

Atenção: a suplementação pode ter interação com outros medicamentos

A suplementação de melatonina pode interagir com alguns medicamentos. Por isso, quem faz uso dos seguintes medicamentos precisa consultar seu médico para analisar os prós e contras da suplementação com melatonina:

  • Medicamentos da classe de antidepressivos e ansiolíticos;
  • Pílulas contraceptivas;
  • Anti-hipertensivos e beta bloqueadores;
  • Medicamentos anticoagulantes;
  • Anti-inflamatórios do tipo não esteroidais (AINES);
  • Esteróides anabolizantes;
  • Medicamentos imunossupressores;
  • Receptores de estrógeno, como o tamoxifeno.

Quais os efeitos colaterais?

Antes de tomar, você precisa saber quais são os efeitos colaterais, raramente ocorrem, entretanto é bom ter conhecimento caso aconteça uma superdosagem ou outra situação que leve a certa reação.

Dificilmente (para não dizer impossível) você vai criar uma dependência física utilizando a melatonina. Ao contrário dos medicamentos sintéticos para dormir, você poderá deixá-la de tomar, sem que isso cause os efeitos colaterais de abstinência.

Entre as adversidades, é possível citar:

  • dor de cabeça;
  • tontura;
  • náuseas;
  • sonolência;
  • sonhos e pesadelos intensos;
  • redução do apetite;
  • diarreia, náusea ou dor no estômago;
  • confusão mental ou falta de concentração;
  • irritabilidade ou ansiedade;
  • sintomas da depressão intensificados.

Portanto, a melatonina gera muitos benefícios para nós. Tendo um acompanhamento médico adequado e um produto de qualidade, o seu sono terá a sincronicidade necessária, e sua qualidade de vida aumentará.

Caso você queira entender mais sobre a suplementação, acesse a loja da Farmácia Sempre Viva, pois há mais explicações que vão sanar suas dúvidas para que, na hora de comprar melatonina, você tenha mais conhecimento sobre esse hormônio e utilize-o de forma adequada.

Imagem padrão
Vivian Costa
Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: https://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/
Artigos: 275

Deixe uma resposta