estetoscópio indicando a importância de remédios naturais para o coração

Remédios Naturais para o Coração. Quais os melhores suplementos para a saúde cardiovascular?

Como sabemos, o coração é um dos órgãos mais importantes de nosso corpo, já que é ele quem faz o bombeamento do sangue pelo corpo e com isso banha (ou não) com nutrientes e oxigênio todas as células e ainda ajuda no transporte da remoção de resíduos.

Infelizmente, sabemos que as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo.

Mas será que suplementos podem ajudar a melhorar a função do coração, um órgão super importante e complexo? É sobre isso que nós vamos falar hoje.

Qual a diferença entre Remédios e Suplementos?

Remédio é um fármaco sintético, feito pela indústria farmacêutica. Estas substâncias passam por pesquisas para que comprovem sua eficácia e segurança e normalmente resolvem ou amenizam os sintomas de uma determinada enfermidade.

Mas o problema é que eles são sintéticos e essas estruturas químicas inventadas pelo homem simplesmente não existem na natureza.

E por não existir nosso corpo fica meio sem saber como lidar com elas, e com isso na grande maioria das vezes os remédios trazem efeitos colaterais, com duas consequências principais:

  • Remédios sintéticos podem ser tão danosos que seu efeito colateral pode ser até mesmo pior que a própria doença que ele se propôs a resolver.
  • Ou em muitos casos você vai precisar de outro(s) medicamento(s) para tratar os efeitos colaterais gerados pelo remédio inicial.

Já os suplementos são substâncias que existem na natureza e os humanos têm contato com elas há milênios, ou seja, nosso corpo sabe como utilizá-las e processá-las, pois já tivemos contato com elas através de nossa própria dieta.

Suplementos dietéticos são produtos que as pessoas usam para adicionar nutrientes ou outros compostos ao corpo. De vitaminas e minerais individuais, passando por combinações de nutrientes e ervas fitoterápicas, existem inúmeros produtos suplementares no mercado que afirmam fornecer benefícios específicos à saúde. 

Claro que nem sempre está claro para as pessoas quais suplementos são de alta qualidade, nem quais são um desperdício de dinheiro ou mesmo potencialmente perigosos. Continue conosco para conhecer os principais suplementos para a saúde do coração.

suplementação x remédios, medicamentos
@ksyfffka07 via Unsplash

Suplementos como gatilhos para uma vida mais melhor

Costumo dizer que podemos  encarar o uso de suplementos como gatilhos para melhor qualidade de vida como um todo:

A partir do uso de suplementos você pode adquirir novos e bons hábitos alimentares, prática regular de exercícios físicos e ter estratégias para gerenciar o stress. Dessa forma, os remédios naturais para o coração não só podem ser usados – eles na verdade devem ser usados, podendo levar sua saúde para outro patamar.

Porque meu cardiologista não prescreve suplementos? 

Pode parecer um papo bem batido, mas a indústria farmacêutica tem um poder muito grande. Diariamente um verdadeiro exército de visitadores de laboratórios farmacêuticos estão nos consultórios médicos apresentando as novidades da indústria, oferecendo muitas amostras gratis, participação em congressos, eventos e fazendo muito bem feito o relacionamento entre o médico e seu laboratório.

Essa marcação de presença do visitador, aliada a uma lacuna no currículo das faculdades de medicina, que dão pouca (ou nenhuma) ênfase para aspectos relacionados à medicina preventiva e nutrição acabam por sepultar alguma visão positiva de muitos médicos cardiologistas para suplementação nesta área.

Mas será que faltam estudos que comprovem a eficácia dos suplementos para a saúde cardiovascular? A resposta é não, nós temos muitos estudos que comprovam a atividade terapêutica dos principais suplementos para o coração e iremos abordar a seguir.

A seguir fizemos uma seleção dos principais suplementos para o coração, com estudos que comprovam sua eficácia.

Os melhores remédios naturais para o coração

1. Curcuma ou Açafrão da Terra

A cúrcuma é utilizada há milênios na culinária e na tradicional medicina indiana – a Ayurveda.

Na Cúrcuma nós encontramos a curcumina, que é a substância ativa, rica em polifenóis, que melhoram a função endotelial, ou seja, a curcuma é boa para o coração e para atividade física.

Curcuma apresenta excelente potencial antiinflamatório incrível, diminui LDL oxidado e diminui inflamação crônica.

Por ter a excelente propriedade anti inflamatória, a curcumina combate muitos fatores de risco de doenças cardíacas, o que inclui a redução da inflação crônica, menor impacto da glicose elevada e normalização dos perfis de lipídios no sangue. Tudo isso colabora para diminuir o risco de infartos e derrames, considerando até mesmo pessoas que possuem complicações como a diabetes.

⠀Em um estudo publicado no Journal of Applied Physiology, mostrou que a curcumina pode reparar a intolerância ao exercício enfrentada por pacientes com insuficiência cardíaca. O estudo demonstrou que o tratamento com curcumina melhorou a função muscular e a capacidade de exercício em pessoas com insuficiência cardíaca. As enzimas antioxidantes previnem e reparam os danos do estresse oxidativo e também melhoram o desempenho nos exercícios.

⠀Apesar de muitas pessoas adicionarem cúrcuma à sua alimentação, elas não trazem tantos benefícios quanto suplementos de curcumina concentrados e padronizados a pelo menos 95% de curcuminóides. Isto é chamado de Cúrcuma Padronizada e é ela que é utilizada nos suplementos da Farmácia Sempre Viva.

Então para obter resultado efetivo da Cúrcuma, busque pela Cúrcuma concentrada em 95% de curcuminoides, a curcuma ralada ou em pó da loja de produto natural não é tão efetiva, apesar do que já é melhor do que nada!

2. Coenzima Q10

A Coenzima Q10 (CoQ10) é um excelente antioxidante produzido pelo próprio corpo. Suas células usam CoQ10 para crescimento e manutenção. Mas a má notícia é que os níveis de CoQ10 em seu corpo diminuem com a idade.

A Coenzima Q10 está presente no corpo humano em níveis mais elevados no coração, fígado, rins e pâncreas. Ela é armazenada nas mitocôndrias de suas células, estrutura conhecida como “usina de energia” das células, e é por isso que está envolvida na produção de energia.

Além do envelhecimento, níveis mais baixos de CoQ10 foram encontrados em pessoas com certas condições, como doenças cardíacas, e nas pessoas que tomam medicamentos para baixar o colesterol chamados estatinas – um medicamento com este terrível efeito colateral.

CoQ10 é encontrado em carnes, peixes e nozes. A quantidade de CoQ10 encontrada nessas fontes dietéticas, no entanto, não é suficiente para aumentar significativamente os níveis de CoQ10 em seu corpo. Os suplementos dietéticos CoQ10 estão disponíveis em cápsulas, como a Mega Coenzima Q10 (produzida junto com Óleo de Abóbora, que aumenta incrivelmente sua absorção, na forma lipossomada) ou soluções líquidas como o MaxSolve (uma solução com excelente biodisponibilidade, utilizando a tecnologia de nanoemulsão).

A pesquisa sobre o uso do CoQ10 mostrou que este suplemento pode melhorar os sintomas de insuficiência cardíaca, ajudar a reduzir a pressão arterial e algumas pesquisas também sugerem que, quando combinada com outros nutrientes, a CoQ10 pode ajudar na recuperação de pessoas que passaram por cirurgias de ponte de safena e válvula cardíaca.

Com relação aos portadores de diabetes, as pesquisas conduzidas sugerem que a Coenzima Q10 pode ajudar a reduzir o colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL) e os níveis de colesterol total em pessoas com diabetes, diminuindo o risco de doenças cardíacas.

A Coenzima Q10 é FUNDAMENTAL para quem faz uso de estatinas. Algumas pesquisas sugerem que a CoQ10 pode ajudar a aliviar a fraqueza muscular e a dor às vezes associada ao uso de estatinas, a chamada miopatia induzida por estatinas. 

3. D-Ribose

A Ribose, ou D-Ribose, é um carboidrato que faz parte de um complexo sistema de geração de energia, sendo bastante ligada à usina de produção energética da célula – as mitocôndrias. Com grande foco na produção de ATP, algumas associações como L-carnitina e a creatina podem trazer ótimos resultados aumentando os níveis de energia.

Vários estudos examinaram se os suplementos de D-ribose melhoram a função cardíaca em pessoas com doenças cardíacas.

Estudos descobriram que a D-ribose melhorou a capacidade do coração de tolerar o fluxo sanguíneo baixo durante o exercício em pessoas com doença arterial coronariana. Outro estudo observou que a Ribose melhora a função de algumas das câmaras do coração.

Portanto, existem evidências científicas que a Ribose ajuda pessoas que possuem baixo fluxo sanguíneo no músculo cardíaco. Isso provavelmente se deve ao papel da D-ribose na produção de energia celular.

4. Ômega 3

Décadas atrás, os pesquisadores observaram que as comunidades de comedores de peixes apresentavam taxas muito baixas de ataques cardíacos e derrames. Isso foi mais tarde relacionado ao consumo de ômega-3.

Os ácidos graxos encontrados no Ômega-3 são um tipo de ácido graxo insaturado que pode reduzir a inflamação em todo o corpo. A inflamação no corpo pode danificar os vasos sanguíneos e causar doenças cardíacas e derrames.

Os ácidos graxos ômega-3 podem beneficiar a saúde do coração ao:

  • Diminuir os triglicerídeos;
  • Baixar ligeiramente a pressão arterial;
  • Reduzir a coagulação do sangue;
  • Diminuir o risco de acidentes vasculares cerebrais e risco de insuficiência cardíaca;
  • Reduzir batimentos cardíacos irregulares.

Poderíamos até obter o Ômega 3 necessário em nossa alimentação. No entanto, na maioria das vezes, nossa dieta é pobre em Ômega 3.

Os peixes gordurosos contêm a maior parte dos ácidos graxos ômega-3 e parecem ser os mais benéficos para a saúde do coração. São eles: salmão, sardinha, cavalinha, atum e truta.
Para suprir esta deficiência é importante a suplementação. Entretanto, uma das grandes preocupações com a suplementação de Ômega 3 é a contaminação por metais pesados, principalmente o mercúrio. Dessa forma, busque sempre pelo selo que garanta o Ômega 3 livre de contaminantes como o selo MEG-3 ou IFOS.

5. Vitamina D3 + Vitamina K2

A vitamina D3 é sintetizada naturalmente na pele, convertendo a luz UVB do sol. Também é encontrado naturalmente em alguns alimentos, adicionado a outros alimentos e disponível como suplemento.

Normalmente pensamos que a vitamina D é importante para a saúde óssea e mais recentemente para melhorar o sistema imunológico. Mas os pesquisadores da Universidade de Ohio descobriram um novo benefício da vitamina D  agora para o sistema cardiovascular.

A equipe de pesquisadores descobriu que a vitamina D3 tem um efeito restaurador no sistema cardiovascular, reduzindo o risco de ataque cardíaco e reparando os danos causados ​​pela hipertensão, aterosclerose e diabetes.

Tenha atenção aos níveis recomendados pelos laboratórios de análises clínicas. Médicos da linha integrativa normalmente recomendam manter os níveis de vitamina D entre 60 a 90  ng/ml.

Já a Vitamina K2 parece atuar como o GPS do cálcio em nosso corpo, levando o mineral onde realmente ele será bem utilizado. É importante ressaltar que o acúmulo de cálcio nas artérias ao redor do coração é um grande fator de risco para doenças cardíacas.

Acredita-se que a vitamina K (em especial a vitamina K2 – Menaquinona, do tipo MK7) ajuda a evitar que o cálcio seja depositado nas artérias.

Um estudo holandês analisou por 10 anos um grupo de  pessoas que tinham maior ingestão de vitamina K2 e comparou com outro grupo que mantinha níveis baixos de ingestão de K2. Os pesquisadores descobriram que as pessoas que ingeriram maior quantidade de K2 tinham 52% menos probabilidade de desenvolver calcificação da artéria e um risco 57% menor de morrer de doença cardíaca.

Por outro lado, a vitamina K1 (Filoquinona) parece não ter influência sobre a questão da melhora da calcificação.

A Vitamina K2 não interfere negativamente na sua coagulação. Mas tenha cuidado e converse com seu médico, não só com a vitamina K2, mas com qualquer suplemento se você faz uso de anticoagulantes com o Marevan (Varfarina).

Formulações de Vitamina D3 + Vitamina K2 em soluções oleosas melhora absurdamente sua absorção no organismo, pois essas vitaminas são lipossolúveis. As opções de soluções oleosas disponíveis na Farmácia são TCM, Óleo de Girassol ou Azeite de Oliva.

Caso faça essas vitaminas em cápsulas, observe se o excipiente utilizado junto com as vitaminas é proveniente de fonte oleosa. As Vitaminas K.A.D.E da Farmácia Sempre Viva são feitas com excipiente TCM em pó (triglicerídeos de cadeia média), extraído do óleo e coco.

6. Magnésio

Finalizando essa seleção especial de suplementos para a saúde do coração – olha ele de novo aí! O maestro dos minerais, que participa de mais de 300 reações bioquímicas de nosso corpo, com vocês o Magnésio.

Basicamente a importância é manter o batimento cardíaco saudável, ou seja, ter níveis ótimos de magnésio é ESSENCIAL para se viver bem.

O magnésio compete naturalmente com o cálcio, que é essencial para gerar as contrações cardíacas. Quando o cálcio entra nas células do músculo cardíaco, ele estimula a contração das fibras musculares. O magnésio neutraliza esse efeito, ajudando essas células a relaxar.

Este movimento de cálcio e magnésio através das células do coração mantém um batimento cardíaco saudável.

Quando os níveis de magnésio estão baixos, o cálcio pode superestimular as células do músculo cardíaco. Um sintoma comum disso é um batimento cardíaco rápido e / ou irregular, que pode ser fatal.

Entre os vários tipos de Magnésio disponíveis destacamos especialmente dois presentes em nossa loja virtual, o Triplo Magnésio, com tripla forma de magnésio, o que melhora bastante a capacidade do mineral ser corretamente absorvido pelo corpo e a formulação do Metabolize 4, que além de magnésio contém cromo, zinco e probióticos – todos eles em sinergia para prevenção e melhora da síndrome metabólica.

Outros remédios naturais para saúde do coração

Claro que existem outros suplementos também muito importantes para a saúde cardiovascular. Aqui nós procuramos selecionar os principais, que mais contém mais pesquisas sobre seus benefícios para a saúde do coração. 

Pesquise, estude, converse com seu médico.

Cuide bem do seu coração! ❤

Referências:

Wafi, A. M., Hong, J., Rudebush, T. L., Yu, L., Hackfort, B., Wang, H., Schultz, H. D., Zucker, I. H., & Gao, L. (2019). Curcumin improves exercise performance of mice with coronary artery ligation-induced HFrEF: Nrf2 and antioxidant mechanisms in skeletal muscle. Journal of applied physiology (Bethesda, Md. : 1985), 126(2), 477–486. https://doi.org/10.1152/japplphysiol.00654.2018

Iseri, L. T., & French, J. H. (1984). Magnesium: nature’s physiologic calcium blocker. American heart journal, 108(1), 188–193. https://doi.org/10.1016/0002-8703(84)90572-6

Efstratiadis, G., Sarigianni, M., & Gougourelas, I. (2006). Hypomagnesemia and cardiovascular system. Hippokratia, 10(4), 147–152. 

Pauly, D. F., & Pepine, C. J. (2004). Ischemic heart disease: metabolic approaches to management. Clinical cardiology, 27(8), 439–441. https://doi.org/10.1002/clc.4960270802

Pauly, D. F., & Pepine, C. J. (2000). D-Ribose as a supplement for cardiac energy metabolism. Journal of cardiovascular pharmacology and therapeutics, 5(4), 249–258. https://doi.org/10.1054/JCPT.2000.18011

Leaf A. (2008). Historical overview of n-3 fatty acids and coronary heart disease. The American journal of clinical nutrition, 87(6), 1978S–80S. https://doi.org/10.1093/ajcn/87.6.1978S

Cazzola, R., Russo-Volpe, S., Miles, E. A., Rees, D., Banerjee, T., Roynette, C. E., Wells, S. J., Goua, M., Wahle, K. W., Calder, P. C., & Cestaro, B. (2007). Age- and dose-dependent effects of an eicosapentaenoic acid-rich oil on cardiovascular risk factors in healthy male subjects. Atherosclerosis, 193(1), 159–167. https://doi.org/10.1016/j.atherosclerosis.2006.06.008

Marchioli, R., Barzi, F., Bomba, E., Chieffo, C., Di Gregorio, D., Di Mascio, R., Franzosi, M. G., Geraci, E., Levantesi, G., Maggioni, A. P., Mantini, L., Marfisi, R. M., Mastrogiuseppe, G., Mininni, N., Nicolosi, G. L., Santini, M., Schweiger, C., Tavazzi, L., Tognoni, G., Tucci, C., … GISSI-Prevenzione Investigators (2002). Early protection against sudden death by n-3 polyunsaturated fatty acids after myocardial infarction: time-course analysis of the results of the Gruppo Italiano per lo Studio della Sopravvivenza nell’Infarto Miocardico (GISSI)-Prevenzione. Circulation, 105(16), 1897–1903. https://doi.org/10.1161/01.cir.0000014682.14181.f2

Ciubotaru, I., Lee, Y. S., & Wander, R. C. (2003). Dietary fish oil decreases C-reactive protein, interleukin-6, and triacylglycerol to HDL-cholesterol ratio in postmenopausal women on HRT. The Journal of nutritional biochemistry, 14(9), 513–521. https://doi.org/10.1016/s0955-2863(03)00101-3

Kramer, C. K., Zinman, B., Gross, J. L., Canani, L. H., Rodrigues, T. C., Azevedo, M. J., & Retnakaran, R. (2013). Coronary artery calcium score prediction of all cause mortality and cardiovascular events in people with type 2 diabetes: systematic review and meta-analysis. BMJ (Clinical research ed.), 346, f1654. https://doi.org/10.1136/bmj.f1654

Imagem padrão
Vivian Costa

Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: https://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/

Artigos: 313

Deixe uma resposta