O que é o Lugol? E quais são os benefícios do iodo para o organismo?

Neste artigo vamos conversar sobre a solução de iodo – tradicionalmente conhecida como Lugol, a importância do iodo para nosso corpo, a análise dos especialistas defensores e também dos especialistas contrários à suplementação com Lugol e minha experiência com uso desta tintura de iodo.

Qual a importância do iodo para nosso corpo?

O iodo é um nutriente já conhecido pela sua importância para o bom funcionamento da tireóide, mas os seus benefícios vão muito além disso. 

O iodo é um nutriente importante que sua tireóide precisa para produzir certos hormônios. Não consumir iodo suficiente em sua dieta pode levar a problemas como aumento da glândula tireóide (bócio) e um nível anormalmente baixo de hormônios tireoidianos  (hipotireoidismo).

Muitas vezes mal compreendido e subestimado o iodo é de grande importância para o organismo como um todo, sendo que sua deficiência pode levar à formação de cistos, nódulos, fibrose e câncer em vários órgãos.

O iodo ainda tem ação alcalinizante, antibacteriana, antifúngica, antiviral, antiparasitária, anticâncer, detox e mucolítica (facilita a eliminação do muco).

halogenios 53 I iodo 126,90

No entanto, a absorção do iodo pelo organismo sofre competição desleal com flúor, bromo e cloro. Esses elementos fazem parte da classe dos Halogênios na Tabela Periódica dos Elementos Químicos.

Dessa forma, devido terem menor peso atômico que o Iodo, esses 3 elementos são melhor absorvidos pelo corpo. Confira as maiores fontes do flúor, bromo e cloro:

  • Flúor, presente na água tratada e sobretudo em altas taxas em enxaguantes bucais e cremes dentais;
  • Bromo, utilizado largamente na indústria alimentícia em massas e fermentos; 
  • Cloro, também presente na água tratada que recebemos em casa e no vapor do banho e da sauna molhada;

Problemas da Absorção de Flúor, Cloro e Bromo em Detrimento do Iodo

Qual o problema em absorver flúor, cloro e bromo ao invés do iodo? Nosso corpo absorve esses 3 halogênios por terem estrutura muito parecida com o iodo. A partir disso, o momento que  corpo passa a absorver altas taxas desses minerais, nós ficamos intoxicados, e prejudicamos o bom funcionamento de vários órgãos e glândulas (sobretudo a tireoide) que precisa de iodo e não desses outros halogênios.

Devido à sua reconhecida importância para a saúde humana, a suplementação do Iodo ganhou atenção de médicos e comunidade científica e muito se discute sobre os benefícios da utilização de altas doses de iodo no organismo, incluindo portadores de uma doença – a Tireoidite ou Síndrome de Hashimoto, uma doença autoimune, na qual os anticorpos produzidos pelo próprio organismo acabam atacando e destruindo as células tireoidianas.

Sal iodado para suplementar o iodo

Para a maioria das pessoas, o sal iodado é provavelmente a maneira mais fácil de manter uma ingestão suficiente de iodo. 

O iodo está distribuído de maneira variável e irregular em todo o mundo devido aos efeitos da era do gelo, o iodo se acumulou principalmente nas áreas costeiras. Além disso, as fontes alimentares mais comuns de iodo são algas, peixes e laticínios.

Como medida de saúde pública o governo brasileiro obrigou a indústria de refinação de sal, realizar a iodização do sal de cozinha desde ano de 1953

Mas ainda o sal iodado pode ser ainda insuficiente para trazer boa saúde ao organismo, tanto devido a concentração do iodo metalóide (10 miligramas por quilo de cloreto de sódio – sal), quanto também por possuir apenas uma isoforma de iodo, ou seja, o iodo metalóide.

O Lugol, como veremos a seguir, possui 2 isoformas de iodo (iodo Metalóide e iodeto de potássio).Assim, já uma alga chamada de “ascophyllum nodosum” ou alga marrom do ártico possui 4 isoformas de iodo, possuindo alta concentração de Iodo e com alta biodisponível (capacidade de ser absorvido pelo organismo). Essa alga marrom está presente tanto no I-Plus.

Aspectos nutricionais do iodo

O iodo é um nutriente vital que desempenha um papel fundamental na saúde, especialmente na produção de hormônios tireoidianos que regulam o metabolismo, o crescimento e o desenvolvimento. Portanto, uma ingestão adequada de iodo é essencial para manter a função tireoidiana saudável e prevenir condições relacionadas à deficiência de iodo, como o bócio e o hipotireoidismo. Além disso, vamos explorar as fontes alimentares de iodo e as necessidades diárias deste micronutriente crucial.

Fontes alimentares de iodo

O iodo está presente naturalmente em alguns alimentos e adicionado a outros. Aqui estão as principais fontes alimentares:

  • Frutos do mar: peixes (como bacalhau e atum), camarões e outros frutos do mar são excelentes fontes de iodo. A concentração de iodo em produtos marinhos é geralmente mais alta porque o mar é uma fonte natural de iodo;
  • Algas marinhas: as algas, como kelp, nori e wakame, estão entre as fontes mais ricas de iodo. No entanto, o conteúdo de iodo pode variar significativamente entre diferentes tipos de algas e até mesmo entre diferentes lotes do mesmo tipo;
  • Laticínios: leite, queijo e iogurte contêm iodo, principalmente porque o iodo é comumente usado em soluções desinfetantes para limpeza de equipamentos de ordenha e também pode estar presente na ração do gado;

Ovos: os ovos são uma boa fonte de iodo, especialmente a gema.

O que é o Lugol? Conheça a tintura de iodo – Lugol 5 por cento

O Lugol é uma solução formada pela combinação de Iodo Metalóide e Iodeto de Potássio, sendo aplicado como suplemento para corrigir desequilíbrios e deficiências em nutrição do iodo. Essa tintura de iodo também é conhecida por Lugol 5 ou Lugol a 5 por cento, devido a concentração utilizada do Iodo Inorgânico 5%.

O nome Lugol é uma homenagem prestada ao médico francês “Jean Guillaume Auguste Lugol”.  Em 1829, ele teve a brilhante ideia de misturar iodo com iodeto para tornar o iodo solúvel.

Essa tintura de iodo é indicada para manutenção do bom funcionamento da glândula tireóide, com melhora na produção de hormônios. Mas não é só isso.

Nas mulheres ajuda no controle da síntese dos hormônios estrogênio, benefícios também para os ovários, mamas e útero. Assim, nos homens melhora a saúde da próstata que depende de níveis adequados de iodo.

Lugol é benéfico para homens e mulheres, prevenindo problemas da tireoide e fortalecendo o sistema imunológico. Além disso, diversos órgãos como glândulas salivares, esôfago, estômago, pele e músculos também são beneficiados por seu uso.

Um exemplo dos benefícios do consumo de altos níveis de iodo é a população japonesa. Assim, o consumo médio de iodo pelo japonês tradicional é de aproximadamente 13 mg por dia, equivalente a 2 gotas de Lugol. Isso é significativamente maior que a recomendação diária mínima de 150 mcg de iodo, conforme geralmente indicado pela medicina tradicional. Portanto, esse alto consumo é devido à presença abundante de algas na dieta japonesa, as quais são fontes ricas de iodo. Assim, a dieta é associada à excelente qualidade de vida e longevidade observada entre os japoneses.

Lugol: para que serve?

O Lugol 5% é uma solução que serve a vários propósitos, principalmente relacionados à saúde e ao bem-estar, devido ao seu conteúdo de iodo. Aqui estão alguns dos usos e benefícios principais do Lugol 5%:

  • Saúde da tireoide: Lugol 5% é comumente usado para promover a saúde da tireoide. O iodo é um componente essencial na produção de hormônios tireoidianos, como a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3). Estes hormônios são cruciais para regular o metabolismo, o crescimento e o desenvolvimento. O Lugol pode ajudar a prevenir e tratar condições relacionadas à tireoide, como hipotireoidismo (produção insuficiente de hormônios tireoidianos) e hipertireoidismo (produção excessiva de hormônios tireoidianos);
  • Desintoxicação: o Lugol 5% ajuda na eliminação de metais pesados e outras toxinas do corpo, como mercúrio, chumbo e cádmio. Também tem ação contra outros halogênios que competem com o iodo no corpo, como flúor, bromo e cloro.
  • Saúde imunológica: o iodo tem propriedades antibacterianas, antivirais, antifúngicas e antiparasitárias, o que significa que o Lugol pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico e a proteger o corpo contra várias infecções e doenças;
  • Manutenção de energia e metabolismo: Ao ajudar a função da tireoide, o Lugol mantém níveis energéticos adequados e regula o metabolismo, promovendo bem-estar geral.
  • Saúde da pele, cabelo e unhas: O iodo é reconhecido por promover a saúde da pele, cabelos e unhas, mantendo sua integridade e saúde.

Contraindicações do uso do lugol

O uso do Lugol 5% pode ser muito benéfico para a saúde, especialmente relacionado à função tireoidiana e à desintoxicação. No entanto, existem algumas contraindicações e situações em que o uso de Lugol deve ser feito com cautela ou evitado. Assim, aqui estão algumas das contraindicações mais comuns para o uso do Lugol 5%:

  • Distúrbios da tireoide: pessoas com doenças da tireoide, especialmente aquelas com hipertireoidismo ou doença autoimune da tireoide, como a Doença de Graves ou a Tireoidite de Hashimoto, devem usar Lugol com extremo cuidado, pois o excesso de iodo pode exacerbar essas condições;
  • Durante a gravidez e amamentação: Geralmente, profissionais de saúde desaconselham o uso de Lugol 5% durante a gravidez e a amamentação, a menos que prescrito e monitorado por um profissional, pois o iodo pode passar para o feto ou para o bebê, potencialmente afetando a função tireoidiana do bebê.
  • Crianças menores de 5 anos: Geralmente, desaconselha-se o uso de Lugol em crianças pequenas devido ao risco de afetar a função tireoidiana, crucial para o crescimento e desenvolvimento.
  • Alergias ao iodo: indivíduos com alergia conhecida ao iodo ou a qualquer componente da solução de Lugol devem evitar o uso;
  • Doenças dermatológicas: pessoas com dermatite herpetiforme e outras doenças de pele relacionadas ao iodo devem evitar o uso de Lugol, pois ele pode piorar essas condições;
  • Doenças renais: Pacientes com doenças renais ou função renal comprometida devem usar Lugol com precaução, pois os rins excretam principalmente o iodo.
  • Uso de certos medicamentos: o Lugol pode interagir com certos medicamentos, incluindo medicamentos para tireoide, diuréticos que conservam o potássio, lítio (usado para tratar transtorno bipolar), e medicamentos anti-hipertensivos. Portanto, a interação com esses medicamentos pode levar a efeitos adversos ou afetar a eficácia do tratamento.

É fundamental que um profissional de saúde oriente e acompanhe sempre a utilização do Lugol 5%, avaliando as condições individuais do paciente e oferecendo orientações adequadas. Além disso, é importante monitorar regularmente a função tireoidiana e outros parâmetros relevantes durante o uso do Lugol para garantir a segurança e a eficácia do tratamento.

Quais são os efeitos adversos e riscos da suplementação com Lugol?

O efeito detox do Lugol pode inicialmente causar uma reação devido à eliminação de halogênios que competem com o iodo, como bromo, flúor e cloro. Algumas pessoas podem experimentar efeitos colaterais no início do uso do Lugol devido à reação de Jarisch-Herxheimer. Toxinas presentes no tecido adiposo serão eliminadas e transportadas pelo sangue, podendo causar enjoo, tontura e um gosto metálico na boca.

Como evitar os riscos adversos da suplementação com Lugol?

Alguns médicos, como o Dr. Lair Ribeiro, recomendam a suplementação com Selênio, Magnésio, vitaminas do complexo B e Vitamina C. Assim, é importante utilizar a vitamina C pelo menos 2 horas após o uso do Lugol, pois pode ocorrer uma reação que anulará a absorção da vitamina C.

Também recomendamos iniciar com menor dosagem nas primeiras semanas. Além disso, deve-se iniciar a suplementação com apenas 1 gota por dia, de preferência, diluída em um copo de água, no período da manhã (não precisa ser em jejum). Portanto, a partir da segunda semana, as pessoas devem aumentar para 2 gotas. Da terceira semana em diante, pode-se utilizar até 3 gotas ao dia. Existem pessoas que utilizam maiores dosagens, desde que acompanhadas de perto por um médico.

A utilização de maiores dosagens são sempre individuais e precisam de uma avaliação profissional.

Os especialistas defensores e os contrários ao uso do Lugol

O médico cardiologista e nutrólogo, Dr. Lair Ribeiro, é um dos defensores mais conhecidos do Lugol. Ele recomenda o suplemento mesmo em portadores de Tireoidite de Hashimoto, desde que o usem em conjunto com o mineral selênio, que ajuda a contrabalancear possíveis reações negativas do iodo.

A discussão maior no meio científico é se a simples reposição do selênio seria suficiente para contrabalancear completamente altas doses de iodo. Algumas pessoas, com predisposição genética para formação de mediadores inflamatórios, terão o processo autoimune alimentado e com isso a solução poderia não se mostrar eficiente. Além disso, o excesso de iodo causa hipotireoidismo, pois o processamento do iodo requer a formação do radical livre peróxido de hidrogênio.

Para a Dra. Izabella Wentz, farmacologista, pesquisadora dedicada à saúde da tireóide, a alta dosagem de iodo cria uma situação desconfortável para portadores de Hashimoto.

Ela explica que nestes casos há um ganho inicial de energia provocado pelo suplemento, mas esse ganho não se sustenta e posteriormente a pessoa acaba por se sentir pior. O pico inicial de energia acontece pela aceleração da destruição da tireóide que libera mais hormônios na circulação e uma parte dos pacientes têm a inflamação da tireoide piorada por conta das altas doses de iodo.Já a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia possui posicionamento contrário à suplementação com Lugol, em qualquer indivíduo, recomendando apenas em casos de “preparo pré-operatório de pacientes com hipertireoidismo por doença de Graves e à crise tireotóxica”.

Conclusão: Tomar ou não Lugol? Minha experiência tomando lugol

Agora é sua missão analisar todos os pontos, riscos x benefícios, pesquisar, conversar com vários profissionais de saúde. Desde médicos da linha mais “tradicional” que não prescrevem lugol, até os médicos da linha integrativa ou funcional que normalmente prescrevem lugol. Ponha na balança todos os pontos e sinta-se confortável em sua decisão, antes de iniciar a suplementação com lugol, ou qualquer outra coisa.

Tenha atenção especial, caso você tenha sido diagnosticado com Tireoidite de Hashimoto. Caso você opte pela suplementação com lugol é importante que você faça uso em conjunto da suplementação com selênio.

Agora se você perguntasse para mim: “você acredita no Lugol?” Eu digo que sim e afirmo que o Lugol trouxe inúmeros benefícios para minha saúde! Eu sou prova que o Lugol funciona!

Anos atrás, fui diagnosticada com nódulo na tireoide. Era um verdadeiro “calombo” na garganta, que não doía, mas causava enorme desconforto estético, além do medo e aflição dele evoluir para um câncer agressivo.

Após estudar bastante, incluir mudanças de hábitos alimentares, de práticas regulares de exercícios e fazer uso do lugol, que aliado às suplementações com outras vitaminas e minerais – o resultado é que meu nódulo na tireoide está praticamente imperceptível!

Meu entendimento é que minha tireoide teve que trabalhar tanto para compensar o déficit de iodo, que ela teve que crescer em tamanho. Com os níveis ideais de iodo, ela passou a funcionar normalmente e não se sobrecarregou (portanto desinchou).

antes e depois lugol
Antes e Depois: Tratamento Lugol – Minha experiência com o Lugol

Onde comprar o Lugol?

Você encontra a Lugol 5%. Enviamos com segurança para todo o Brasil.

Ficou com alguma dúvida? Quer compartilhar sua experiência com o Lugol? Deixe um comentário, será um prazer conversar contigo!

Referências:

http://www.tireoide.org.br/posicionamento-sobre-lugol/

https://newsnetwork.mayoclinic.org/discussion/mayo-clinic-q-and-a-sea-salt-and-sufficient-iodine-intake/

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L1944.htm

Vivian Costa
Vivian Costa

Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: http://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/

Artigos: 415

Deixe uma resposta