mulher chateada com tempo de ereção

Quanto tempo dura uma ereção?

Homens fazem comparações entre si, não tem jeito. E isso inclui tamanho do pênis, número de transas seguidas e tantas outras questões que envolvem vida sexual, incluindo quanto tempo dura o sexo.

Todos sabemos que isso não é muito saudável, mas acontece…

E com o tempo da duração de uma ereção não é diferente. Então, hoje vamos responder baseado em estudos médicos qual o tempo médio que dura (ou deveria durar) uma ereção.

Se você tiver problemas para obter ou manter uma ereção por tempo suficiente para fazer sexo ou seu pênis fica mole ao longo da relação sexual, pode ser um sinal de que você tem disfunção erétil (DE), uma condição comum que pode afetar os homens de várias maneiras diferentes.

A boa notícia é que hoje existem inúmeras maneiras de obter mais fácil uma ereção e mantê-la durante o ato sexual.

Mas voltando ao assunto: “quanto tempo dura uma ereção?” – precisamos antes explicar alguns pontos:

Continue lendo para aprender os fatos sobre a duração da ereção, bem como alguns tratamentos – desde mudanças que você pode fazer em seu estilo de vida até tratamentos médicos para disfunção erétil.

Isso tudo para tornar a obtenção e manutenção de uma ereção um processo mais fácil e menos estressante.

Como funcionam as ereções?

Pode parecer simples ter uma ereção, mas trata-se de um processo complexo que tem início sempre que você se sente sexualmente excitado.

A estimulação sexual pode ser uma imagem, uma lembrança, odores, um cenário, uma pessoa, um lugar – não importa. Uma ereção depende da estimulação sexual que ocorre primeiramente em seu cérebro.

Com a estimulação dá início ao sinal do sistema nervoso para os corpos cavernosos – um par de corpos eréteis e alongados localizados dentro do pênis.

Anatomia do pênis e o detalhe dos dois corpos cavernosos, fonte: adaptado Fazio e Brock (2004) em “Óxido Nítrico e sua importância para a função erétil do pênis”.

Para eles se encherem de sangue e a mágica acontecer, o homem precisa ter óxido nítrico em níveis adequados. É a molécula do óxido nítrico que faz com que os vasos sanguíneos possam se abrir para receberem o grande fluxo sanguíneo.

À medida que o fluxo sanguíneo aumenta, os corpos cavernosos tornam-se maiores e mais firmes, criando uma ereção adequada para a atividade sexual.

O fluxo sanguíneo para o pênis aumenta de 20 a 40 vezes acima do volume normal quando você se sente excitado e pronto para o sexo.

Fatores que podem afetar o tempo de uma ereção

Como as ereções dependem da função nervosa e do fluxo sanguíneo adequados, qualquer coisa que afete esses processos pode potencialmente desempenhar um papel na disfunção erétil.

Causas potenciais de disfunção erétil incluem problemas de saúde física como:

Pressão alta

A pressão alta é uma das causas mais comuns de disfunção erétil. Ela pode danificar os vasos sanguíneos, incluindo aqueles que fornecem sangue ao pênis. Quando estes vasos são afetados, pode haver uma redução no fluxo sanguíneo, dificultando a obtenção ou a manutenção de uma ereção.

Doença cardíaca

Problemas cardíacos estão frequentemente ligados à disfunção erétil. Uma doença cardíaca pode limitar o fluxo sanguíneo necessário para uma ereção saudável. Além disso, as medicações para doenças cardíacas podem ter efeitos colaterais que afetam a função erétil.

Diabetes

O diabetes pode afetar os nervos e os vasos sanguíneos, prejudicando a função erétil. Homens com diabetes têm uma probabilidade maior de desenvolver disfunção erétil, pois a condição pode interferir na capacidade do corpo de usar o óxido nítrico, essencial para as ereções.

Próstata aumentada e hiperplasia benigna da próstata

Embora a relação entre próstata aumentada e disfunção erétil não seja completamente clara, sabe-se que a hiperplasia benigna da próstata pode afetar a função urinária e sexual. Os tratamentos para essa condição também podem contribuir para problemas eréteis.

Esclerose múltipla (EM)

A EM é uma doença que afeta o sistema nervoso central, o que pode impactar a função sexual. Homens com EM podem experimentar problemas de ereção devido a danos nos nervos responsáveis pela resposta sexual.

Lesões no pênis e área circundante

Traumas ou lesões na área genital podem danificar os nervos e vasos sanguíneos necessários para uma ereção. Tais lesões podem ser resultado de acidentes, cirurgias ou condições médicas.

Estar acima do peso

O excesso de peso pode levar a problemas de saúde que afetam a função erétil, como doenças cardíacas e diabetes. Além disso, a obesidade pode diminuir os níveis de testosterona, essenciais para a função sexual masculina.

Hábitos pouco saudáveis

Fumar, o consumo excessivo de álcool e o uso de drogas ilícitas podem prejudicar a saúde vascular e nervosa, impactando negativamente as ereções. Esses hábitos podem também levar a outras condições de saúde que afetam a função sexual.

Depressão

A depressão não apenas reduz o interesse sexual, mas também pode afetar a função erétil. Ademais, muitos medicamentos usados no tratamento da depressão podem ter efeitos colaterais que incluem disfunção erétil.

Ansiedade

A ansiedade relacionada ao desempenho sexual pode criar um ciclo de preocupações que impedem a obtenção de uma ereção. O medo de não conseguir manter uma ereção pode, por si só, levar à disfunção erétil.

Baixa autoestima

A autoestima baixa pode influenciar negativamente a saúde sexual. A preocupação com o desempenho ou com o corpo pode reduzir a excitação sexual e a capacidade de manter uma ereção.

Estilo de vida estressante e exigente

Um estilo de vida altamente estressante pode afetar a saúde sexual. O estresse crônico interfere nos hormônios e pode reduzir a libido, além de afetar a capacidade de manter ereções.

Tipos de ereções

Existem três tipos diferentes de ereções, com causas diferentes:

  • Ereções psicogênicas;
  • Ereções refloxogênicas;
  • Ereções noturnas;

A seguir abordaremos como cada uma delas funciona.

Ereções psicogênicas

As ereções psicogênicas se desenvolvem como resposta a estímulos audiovisuais ou fantasia, que desencadeiam uma série de impulsos do cérebro para o pênis.

Você pode desenvolver uma ereção psicogênica depois de ver uma imagem sexualmente estimulante, conversar com sua parceira(o) sobre um assunto sexual ou ter um bom e velho sonho sexual.

Mesmo pensamentos curtos sobre sexo ou uma rápida lembrança de uma memória sexual (aquela noite perfeita, que tudo deu certo), podem potencialmente desencadear esse tipo de ereção.

Ereções Reflexogênicas

As ereções reflexogênicas são a resposta à estimulação física do órgão genital, como o ato da parceira tocar seu pênis.

Você pode desenvolver uma ereção reflexogênica em resposta ao toque físico, sexo oral ou outras formas de estimulação que envolvem o toque.

Esse tipo de estimulação física direta ativa o sistema nervoso e estimula o fluxo sanguíneo para o pênis.

Ereções Noturnas

As ereções noturnas se desenvolvem enquanto você dorme, resultando nas ereções matinais que muitos homens experimentam quando acordamos depois de uma noite de sono tranquila.

A pesquisa mostra que a maioria das ereções noturnas ocorre durante o sono na fase REM, que tem intensa atividade cerebral, uma fase do sono que normalmente envolve sonhos.

Também há evidências de que os níveis de testosterona nos homens estão ligados à frequência das ereções noturnas.

Afinal, quanto tempo dura o sexo?

Quando se trata de sexo, não há uma definição precisa do que é “normal” e do que não é. Isto é especialmente verdadeiro quando se trata de ereções.

Não há um período de tempo específico que uma ereção deva durar. A quantidade de tempo que você fica duro pode variar com base no seu nível de estimulação sexual, humor, intervalo entre ereções e outros fatores.

Para se ter uma ideia, pesquisadores quiseram pedir a duração média da ereção, medindo a quantidade de tempo durante a qual os homens conseguem fazer sexo antes de ejacular.

Tecnicamente isso é chamado de como Tempo de Latência Ejaculatória Intravaginal, mede a quantidade de tempo que passa entre a penetração vaginal inicial e a ejaculação intravaginal – o ponto em que um homem atinge o orgasmo e ejacula.

Um estudo quis medir o tempo da duração de uma ereção – e recrutou 500 casais em cinco países diferentes, os pesquisadores descobriram que o tempo para ejacular dentro da vagina varia de 55 segundos a mais de 44 minutos! Com tempo médio de 5 minutos.

Então, observando a média uma ereção, considerando o tempo desde do início da penetração do pênis dentro vagina, até a ejaculação dura em média 5 minutos.

Agora, isso não significa que cada ereção deve durar 5, 10 ou 44 minutos. No entanto, se você costuma perder a ereção durante o sexo antes de ejacular ou simplesmente acha difícil ficar duro por mais de alguns minutos de cada vez, pode estar sofrendo de algum tipo de disfunção erétil.

Opções de tratamento para falta de ereção

Antes de falar sobre as opções de tratamento, somente um médico poderá diagnosticar se você está com falta de ereção, ou seja, a disfunção erétil e sua causa.

A partir do diagnóstico da DE, você poderá escolher a melhor opção de tratamento. As principais são:

Aconselhamento médico e psicológico

O aconselhamento médico e psicológico é vital para homens que enfrentam disfunção erétil (DE) devido a fatores psicológicos como ansiedade ou estresse. Essa abordagem terapêutica foca em identificar e tratar questões subjacentes que podem estar afetando a saúde sexual. Além disso, ajustes no estilo de vida, como a adoção de uma dieta saudável, prática regular de exercícios e controle de condições como hipertensão e diabetes, podem melhorar significativamente a função erétil.

Reposição dos níveis de testosterona

Em alguns casos de DE, a causa pode ser atribuída a níveis baixos de testosterona. O tratamento para esta condição envolve a reposição hormonal, normalmente através de gels, injeções ou adesivos transdérmicos. Este tratamento deve ser feito sob rigoroso acompanhamento médico, pois a terapia de reposição de testosterona pode ter efeitos colaterais e riscos associados.

Uso de inibidores de PDE5

Os inibidores da PDE5 (fosfodiesterase 5), como a tadalafila, são medicamentos comumente prescritos para o tratamento da DE. Eles funcionam aumentando o fluxo sanguíneo para o pênis, facilitando a obtenção e a manutenção de uma ereção. Esses medicamentos são eficazes para muitos homens e geralmente são seguros, mas podem ter contraindicações e interações medicamentosas, o que requer avaliação médica antes do uso.

Cremes vasodilatadores

Cremes contendo substâncias vasodilatadoras, como o Alprostadil com Fentolamina, são aplicados diretamente no pênis para promover ereções. Esses cremes agem relaxando os vasos sanguíneos e aumentando o fluxo sanguíneo local, facilitando a ereção. São alternativas para homens que não podem tomar os inibidores da PDE5 ou que preferem um tratamento tópico. A aplicação desses cremes deve ser orientada por um profissional de saúde para garantir eficácia e segurança.

Tem dúvidas e precisa conversar sobre quanto tempo dura o sexo e outros temas relacionados a vida sexual masculina? Sinta-se à vontade para entrar em contato comigo e minha equipe no fale com a farmacêutica.

Veja também: remédio para vaginose

Não sofra sozinho, estamos aqui para ajudar.

Vivian Costa
Vivian Costa

Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: http://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/

Artigos: 408

Deixe uma resposta