Por que meu pênis fica mole durante a relação sexual?

As causas são desestímulo sexual e aumento da ansiedade, problemas nos vasos sanguíneos, problemas nos nervos que envolvem a ereção, algumas doenças e uso de certos medicamentos. Veremos com detalhes cada uma das causas relacionadas à perda de ereção.

Perder a ereção no meio do ato sexual é uma situação muito embaraçosa para os homens, mas a verdade é que é algo bastante comum.

Ficar mole durante o sexo apaga qualquer clima. Além de prejudicar os planos de prazer para ambas as partes.

Mas por que será que isso acontece? Existem algumas causas que são mais comuns e também algumas opções de tratamento para ajudar na recuperação da rigidez necessária para a penetração. Continue lendo…

É normal perder a ereção durante o sexo?

Sim, em algumas ocasiões. No entanto, se a perda de ereção se torna frequente, é necessário buscar ajuda profissional para identificar a causa subjacente da disfunção, seja física, seja emocional, e tratá-la adequadamente.

Situações pontuais podem ocorrer devido a distrações ou sensibilidade do mecanismo de ereção masculino.

Por que perco minha ereção durante o sexo?

Perder a ereção basicamente é um desequilíbrio na quantidade de sangue que chega no pênis x a quantidade de sangue que está saindo do pênis. Obviamente precisamos de uma quantidade razoável de sangue para manter o pênis ereto, cerca de 130 ml. – que é uma parcela até pequena se considerarmos que um homem adulto contém 4,5 a 5,6 litros de sangue circulando por todo o seu corpo.

Mas para responder a pergunta por que o pênis fica mole durante a relação sexual, primeiro você precisa entender como funciona uma ereção.

As ereções envolvem seu cérebro, vasos sanguíneos, nervos e hormônios.

Através do cérebro inicia-se o estímulo sexual, é com a ação dos vasos sanguíneos e dos nervos que o pênis se enche de sangue e a ereção fica completa, mas sem o nível de hormônios necessários (sobretudo a testosterona) é possível que nem haja o início da excitação, devido a falta da libido.

Vamos analisar cada uma das fases que envolvem uma ereção.

Quais são as causas de perder uma ereção durante o sexo?

Perda do estímulo sexual e ansiedade pelo desempenho

Uma ereção começa com estímulo sexual e isso é percebido pelo cérebro. Se a excitação é interrompida por algum motivo no seu cérebro existem grandes chances do pênis perder a ereção.

Preocupação demasiada com a performance sexual, gera processos de ansiedade, que acabam influenciando o cérebro e é uma das causas mais comuns da ejaculação precoce (EP), que pode pode resultar em disfunção erétil (DE) – dificultando a obtenção ou manutenção de uma ereção.

Outros aspectos psicológicos como problemas com a parceira (o), depressão e falta de estimulação também provocam quadros de alteração na ereção.

Problemas nos vasos sanguíneos e a importância do óxido nítrico

A partir da excitação há o aumento no fluxo sanguíneo para dentro do pênis e uma diminuição no fluxo sanguíneo para fora do pênis. A mudança no fluxo sanguíneo aumenta a pressão e faz com que o pênis fique rígido.

Para aumentar o fluxo sanguíneo o corpo precisa da ação da famosa molécula do óxido nítrico.

Isso quer dizer que níveis baixos de óxido nítrico impedem que você tenha ereções potentes. É por isso que a gente insiste tanto em suplementar para estimular os níveis ideias de óxido nítrico, algo que é simples, sem efeitos colaterais e que vai te trazer inúmeros benefícios na saúde como um todo.

Problemas nos nervos que envolvem a ereção e a cirurgia da próstata (prostatectomia)

A função erétil é controlada por um ramo do sistema nervoso chamado sistema nervoso autônomo, ou seja, que funciona independente da vontade.

Traumas ou processos cirúrgicos que envolvem estes nervos podem desencadear processos de disfunção erétil.

A cirurgia na cirurgia na próstata (prostatectomia) ou na pelve, que pode danificar o nervo pudendo (um dos principais envolvidos na função erétil). Nós recebemos vários relatos de homens que se submeteram a cirurgia nessa região, em geral para retirada de câncer na próstata. 

Ter tantos relatos não é para menos, um estudo observou que mais de 80% dos pacientes que fazem esse tipo de cirurgia desenvolvem disfunção erétil por lesão do nervo cavernoso.

Outros problemas comuns

Muitos outros problemas podem causar disfunção erétil, vamos detalhar alguns deles:

Doenças crônicas

Doenças crônicas como doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes, aumentam o risco de disfunção erétil, pois estão envolvidas diretamente com distúrbios em vasos sanguíneos.

Essas doenças podem ser controladas (ou até mesmo curadas) com melhor estilo de vida, alimentação saudável, hábitos bons como prática regular de exercícios físicos. Tudo isso faz bem para sua função erétil.

Doenças neurológicas e Doença de Peyronie

Existem condições neurológicas quem danificam os nervos e podem desencadear a disfunção erétil, como Mal de Parkinson, Doença de Alzheimer, Esclerose Múltipla e a Doença de Peyronie, além de traumas que envolvem a região genital que podem comprometer nervos envolvidos na função erétil.

Uso de alguns medicamentos

Uma pesquisa mostrou que cerca de 25% dos casos de disfunção erétil é causada pelo uso de medicamentos.

Basicamente os remédios que causam disfunção erétil são aqueles que têm como efeito colateral afetar alguma fase da ereção – incluindo o cérebro, vasos sanguíneos ou produção de hormônios.

Então os antidepressivos (fluoxetina, citalopram, paroxetina, sertralina ou escitalopram) podem afetar a estimulação sexual (cérebro).

Já os anti hipertensivos, os remédios para pressão alta (sobretudo a hidroclorotiazida) podem interferir nos vasos sanguíneos e assim causar disfunção erétil.

Antiandrógenos (finasterida, dutasterida, acetato de ciproterona) afetam a produção da testosterona e também da di-hidrotestosterona (DHT) e isso afeta a libido. O termo “síndrome pós finasterida” foi dado justamente para os sintomas ocorridos devido ao uso da finasterida e dutasterida, usados para prevenção e tratamento da calvície e hiperplasia benigna da próstata.

É importante dizer que se está fazendo uso de algum desses medicamentos e suspeitar que a DE foi causada por ele, procure seu médico antes de interromper o tratamento.

pote do remédio Óxido Nítrico para o combate da disfunção erétil

Entendendo a flacidez peniana durante o sexo

Antes de discutir possíveis causas para uma ereção pouco consistente, é importante entender a diferença entre um pênis flácido e uma ereção parcial ou insatisfatória.

O pênis, na maior parte do tempo, fica flácido ou mole. Um pênis flácido é um pênis em repouso. Nesse estado, o tamanho do pênis flácido pode variar entre 5 e 10 cm em repouso, enquanto o tamanho ereto pode variar entre 13 e 15 cm.

No entanto, é importante lembrar que essas são médias brasileiras, e o tamanho do pênis flácido pode variar em outros países.

Por outro lado, uma ereção “meia-bomba”, como é popularmente chamada, ocorre quando, mesmo após estímulo sexual, o pênis não fica completamente rígido, o que pode impedir ou não a relação sexual, dependendo do grau de rigidez.

A flacidez durante o sexo impede a relação?

A flacidez do pênis não necessariamente impede a penetração, mas pode dificultar e afetar a qualidade do ato sexual.

Uma ereção parcial de grau leve não é suficiente para manter o pênis duro por muito tempo, o que pode tornar difícil a manutenção da ereção durante a penetração.

Isso pode levar a problemas como pequenas fissuras no órgão, que podem evoluir para fibroses penianas, uma condição conhecida como doença de Peyronie.

Consequências

Em casos mais graves de falta de ereção, a penetração pode ser impedida completamente, gerando frustração no homem, além de afetar a autoestima e a confiança.

Ademais, a parceria pode sentir que o problema é com ela ou que não há mais desejo sexual, prejudicando o relacionamento.

Por fim, a falta de ereção pode levar a desconfianças em relação a relacionamentos extraconjugais.

É importante buscar ajuda profissional em caso de dificuldades persistentes de ereção para identificar e tratar o problema.

O que você deve fazer se perder uma ereção?

Sabemos que a situação é constrangedora, mas não fique estressado. Ficar estressado gera um ciclo vicioso e vai te causar mais problemas de disfunção erétil.

Saiba que passar por isso é algo relativamente comum, a maioria dos homens experimenta algum tipo de disfunção erétil durante a vida. E nós vamos te ajudar a buscar uma solução.

O que fazer para evitar o pênis mole durante a relação?

Observe

Em primeiro lugar, é importante observar a frequência com que a perda de ereção ocorre. Se isso aconteceu apenas uma vez, ou raramente acontece, pode não ser motivo para preocupação.

Estimule

Em vez de focar na perda de ereção, concentre-se em outros estímulos que possam aumentar o prazer durante o ato sexual, como carícias, beijos e sexo oral.

Procure ajuda

No entanto, se a perda de ereção acontece com frequência, ou em quase todas as relações sexuais, é aconselhável procurar um profissional para avaliação.

Um médico pode avaliar e descartar ou tratar se for algum problema orgânico. Já um psicólogo especializado em sexualidade avalia e ajuda no tratamento caso o problema seja de fundo emocional.

É importante lembrar que, até os 50/55 anos de idade, mais de 90% dos casos de disfunção erétil são de causas psicológicas. Portanto, buscar ajuda profissional é uma maneira eficaz de solucionar completamente o problema e identificar a melhor forma de tratamento.

Quais são os tratamentos para deixar o pênis duro durante o sexo?

Tudo tem solução nessa vida. Primeiro você deve analisar se a disfunção erétil tem causas mais psicológicas ou orgânicas. Um bom diagnóstico é o começo de tudo.

Disfunção erétil com causas psicológicas

Nós vimos que situações de aumento de estresse, cobrança por desempenho e ansiedade, depressão e falta de intimidade com a parceira(o) podem desencadear episódios de disfunção erétil e são causas relacionadas aos aspectos psicológicos.

Buscar terapias comportamentais com psicólogos (ou algo que você possa se sentir melhor) é o melhor caminho para encontrar maneiras de lidar com esse momento que está passando.

A Ejaculação Precoce pode ter aspectos orgânicos e psicológicos e o Kit Retard para Ejaculação Precoce pode te ajudar a superar esta fase.

Disfunção erétil com aspectos orgânicos

A solução mais simples (barata) e necessária para qualquer processo de ereção é ter níveis adequados de Óxido Nítrico circulando em seu corpo. Estimular a produção vai te ajudar em inúmeros aspectos de sua saúde.

Aproveite para conhecer o vasodilatador natural e tratamento da disfunção erétil comercializado pela Farmácia Sempre Viva.

Suplementos para estimular a produção de testosterona como o ProtUp e os Fitohormônios podem ajudar sendo soluções naturais para isso. Considere também a modulação hormonal, utilizada em cremes transdérmicos sob prescrição de um médico em doses personalizadas.

Não poderíamos deixar de falar do remédio mais usado para a Disfunção Erétil – a Tadalafila. A linha Erectus contém Tadalafila em mínimas dosagens, com objetivo de não trazer os efeitos colaterais da tadalafila. O mais vendido é o Erectus Turbo com 1,5 mg de tadalafila por dose. O Erectus Spray de Tadalafila é super prático, um spray com gostinho de menta que pode ser utilizado antes da relação sexual, com excelente custo-benefício.

Entretanto, existem causas orgânicas que são um pouco mais complexas, como  por exemplo, o resultado de uma operação de prostatectomia, e a tadalafila ou outros inibidores da PDE-5 como o Viagra (sildenafila) não conseguem resolver. 

Assim, uma opção disponível com bastante eficiência é o uso do Alprostadil, que anteriormente estava disponível apenas na opção injetável (Caverject®), mas para sua alegria (e do seu amigo) está disponível em creme transdérmico (absorvido pela pele) aplicado no canal do uretra, sem necessidade de aplicação com agulhas.

pote do remédio Óxido Nítrico para o combate da disfunção erétil

O melhor sexo é o possível!

Lembre-se que a melhor relação sexual é aquela que você pode ter. Posições performáticas, transar por horas e horas e outros contos – você deixa para aquele papo furado no boteco ou para os filmes porno.

Seja feliz!

Referências

Yafi, F. A., Jenkins, L., Albersen, M., Corona, G., Isidori, A. M., Goldfarb, S., Maggi, M., Nelson, C. J., Parish, S., Salonia, A., Tan, R., Mulhall, J. P., & Hellstrom, W. J. (2016). Erectile dysfunction. Nature reviews. Disease primers, 2, 16003. https://doi.org/10.1038/nrdp.2016.3

Shamloul R, Ghanem H. Erectile dysfunction. Lancet. 2013 Jan 12;381(9861):153-65. doi: 10.1016/S0140-6736(12)60520-0. Epub 2012 Oct 5. PMID: 23040455. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23040455/

Ludwig W, Phillips M. Organic causes of erectile dysfunction in men under 40. Urol Int. 2014;92(1):1-6. Epub 2013 Nov 21. PMID: 24281298. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24281298/

Keene LC, Davies PH. Drug-related erectile dysfunction. Adverse Drug React Toxicol Rev. 1999 Mar;18(1):5-24. PMID: 10401520. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10401520/

Delalibera, V.B.M.C. Óxido Nítrico e sua importância para a função erétil do pênis. Monografia Ensino Superior Ingá – Uningá – Centro Universitário Ingá, Curso de Pós Graduação Lato Sensu em Adequação Nutricional e Manutenção da Homeostase – Prevenção e Tratamento de Doenças Relacionadas à Idade. Orientador: Prof. Dr. Lair Ribeiro. São Paulo, 2020

Vivian Costa
Vivian Costa

Olá, sou a Vivian Costa, Farmacêutica, apaixonada por saúde preventiva, antienvelhecimento e beleza, com foco para minha Farmácia de Manipulação; a Sempre Viva. Estou sempre atenta às novidades, adoro desenvolver novas fórmulas e vou compartilhar um pouco de tudo com vocês. Veja um pouco da minha trajetória em: http://blog.farmaciasempreviva.com.br/curriculo/

Artigos: 408

Deixe uma resposta